“Ele estava com a criança no colo”, diz familiar de morto no Guarujá; vídeo

1 de agosto de 2023

Em vídeo, familiar de vítima diz que ela estava com filho de 9 meses no colo quando policiais invadiram sua casa; polícia diz que ela reagiu.

 

 

São Paulo – Familiares de Cleiton Barbosa de Moura, de 24 anos, morto no último dia 29 no Guarujá, no litoral de São Paulo, afirmam que ele estava com o filho de 9 meses no colo quando policiais entraram em sua casa, no bairro da Conceiçãozinha. Em vídeo feito horas após a morte de Cleiton, uma parente, identificada como cunhada da esposa, afirma que ele foi tirado de casa, levado para um mangue e baleado.

A versão contraria as informações dadas pela polícia sobre a morte. No boletim de ocorrência feito pelos agentes, consta que Cleiton teria fugido e atirado contra os policiais antes mesmo de ser abordado.

“Ó, gente, hoje é dia 29 de julho. Os policiais chegaram aqui no bairro da Conceiçãozinha, entraram na residência da minha cunhada. O marido dela estava em casa com o filho pequeno. Ela estava trabalhando. Eles simplesmente arrancaram ele de dentro de casa para dentro do mangue e mataram ele”, diz a mulher na gravação enviada ao Metrópoles pelo movimento Mães de Maio.

“Arrancaram a criança de 9 meses do colo dele, deram para o irmão. Quando minha cunhada chegou não deram nenhuma informação”, completa. A mulher mostra manchas de sangue que seriam do familiar.

No boletim de ocorrência, os policiais afirmam que foram atraídos até o local em razão do choro da criança e foram surpreendidos por um indivíduo correndo em direção a um beco e houve confronto.

“Que quando este indivíduo correu para o fundo deste beco, em ato contínuo a equipe correu atrás deste indivíduo e houve um confronto. Que no início do confronto durante a tomada de ângulo o indivíduo que já estava de arma em punho apontando para o policiais, em dado momento, efetuou disparos contra estes policiais que repeliram injusta agressão com o intuito de preservar a integridade da equipe, contudo esclarece que os policiais deram ordem para que o mesmo largasse a arma”, diz o registro.

“Ao cair no solo após haver sido atingido pelos disparos, o indivíduo estava ainda esboçando reação e para evitar disparos os policiais retiraram a arma da mão do autor”, continua o boletim de ocorrência.

De acordo com o boletim, os policiais teriam achado 1,3 kg de cocaína e 3,6 kg de crack.

 

 

 

Fonte: metropoles.com.br