Paula muda o som e o discurso para tentar retomar a primazia sertaneja

12 de julho de 2017

EntretenimentoMúsica

Tenha ou não sido inspirada em desilusão amorosa vivida por Paula Fernandes em novembro de 2016, a música Traidor inicia outra transição na carreira dessa cantora e compositora mineira que começou no estilo sertanejo na década de 1990, investiu em 2006 em disco em inglês com regravações de canções estrangeiras (Dust in the wind) antes de voltar para o mercado sertanejo em 2008 com o bem-sucedido álbum Pássaro de fogo.

1b68b676-98f8-41ef-9859-248d5ec44de6_paulafernandestraidor
A atual transição tem razão mercadológica. Em 2011, Paula Fernandes era a maior estrela feminina do universo sertanejo. Neste ano de 2017, a artista já está suplantada no mercado por cantoras como Marília Mendonça e Naiara Azevedo em processo de desvalorização que começou em 2015, ano em que novas vozes femininas se fizeram ouvir no segmento sertanejo com som mais pop e com um discurso mais altivo.
Música que será lançada e promovida em single nas plataformas digitais a partir de amanhã, 13 de julho, Traidor muda novamente o som e o discurso de Paula Fernandes com a missão de tentar retomar a primazia da artista no universo sertanejo. O som fica mais pop e (ainda) mais popular, incorporando toques de reggaeton.
Embora menos populista do que os versos de músicas de cantoras do estilo pop sertanejo, a letra de Traidor é mais direta e evoca o empoderado discurso feminino que fez a fama de Marília Mendonça e Cia no rentável mercado sertanejo. Em vez de chorar as mágoas da traição, Paula canta vitória na letra. Resta saber se a artista também se sairá vitoriosa na tentativa de se atualizar com os ritmos e tendências da volátil e voraz indústria da música…

(Crédito da imagem: capa do single Traidor, de Paula Fernandes)

Fonte: G1

Etiquetas

Comente

Seu e-mail não será publicado.
Campos obrigatórios *.