Deise Cipriano, cantora do grupo Fat Family, sai de cena sem ter a potente voz soul devidamente valorizada pela indústria do disco

(Foto: Reprodução / Instagram)

Dona de poderosa voz de acento soul que encorpava e engrandecia o canto do grupo Fat Family, a cantora paulista Deise Cipriano (5 de novembro de 1980 – 12 de fevereiro de 2019) sai de cena, aos 38 anos, vítima de complicações decorrentes de câncer no fígado.

Deise também foi vítima do desrespeito artístico praticado historicamente pela indústria fonográfica do Brasil contra a natureza vocal da maioria dos cantores diplomados na escola da soul music norte-americana. Diretores de gravadoras tendem a enquadrar essas vozes negras no padrão pop branco do mercado fonográfico.

Deise Cipriano era tão boa cantora que conseguiu se destacar no conjunto vocal Fat Family, formado em Sorocaba (SP) na segunda metade da década de 1990. Contudo, ao lançar o Fat Family em 1998 com grande sucesso, a gravadora EMI adequou o som do grupo ao pop industrializado da época.

A fama inicial da família se deveu ao êxito radiofônico de Jeito sexy, versão em português (escrita por Milton Guedes) de hit da cantora jamaicana Diana King, Shy guy (Diana King, Andy Maravel, Kingsley Gardner, Karen Evans e Patrice Rushen,1995).

Jeito sexy impulsionou as vendas do álbum Fat Family (1998), cuja fórmula comercial foi repetida no disco seguinte Fat festa (1999). Só que essa fórmula logo se desgastou e, após um terceiro álbum de menor apelo e repercussão, Pra onde for, me leve (2001), a gravadora dispensou a família, formada pelos irmãos Sidney (morto em 2011), Celinho, Celinha, Simone, Suzetti, Kátia, Suely – a partir do segundo álbum – e Deise, a caçula de voz potente.

O Fat Family então rumou para o mercado independente – numa época em que isso significava ficar quase invisível – e se converteu ao cristianismo evangélico em 2003.

Se a indústria fonográfica do Brasil valorizasse realmente as vozes descendentes do soul, Deise Cipriano poderia ter legado aos fãs um disco solo à altura da potência vocal dessa grande cantora do Brasil.

Fonte: G1