71% dos feminicídios e das tentativas têm parceiro como suspeito

Um levantamento feito pelo jornal Folha de S.Paulo mostrou que, das 179 mulheres que foram vítimas de feminicídio ou sobreviveram a tentativas em janeiro de 2019, 71% foram atacadas pelo atual ou ex-companheiro. De cada 4 suspeitos, 1 tinha histórico de violência ou antecedentes criminais.

Os números divulgados pela Folha foram de um levantamento realizado pelo advogado Jefferson Nascimento, pesquisador da USP, que se baseia em casos publicados na imprensa brasileira. A Folha analisou 179 notícias, sendo de 119 mortes e 60 tentativas de feminicídio.

A análise, que abrange crimes ocorridos em 25 estados mostra que a mulher vitimada pelo crime tem, em média, 33 anos, e o agressor, um pouco mais: 38 anos. O inconformismo com o fim do relacionamento aparece entre os motivos mais citados para a agressão (18%), logo atrás de brigas, ciúmes ou suposta traição (25%).