Tati Portella lança o primeiro álbum solo após 17 anos como vocalista da banda gaúcha de reggae Chimarruts

Foto: Heloísa Medeiros

Em 2017, decidida a iniciar carreira solo, Tati Portella deixou o posto de vocalista da banda gaúcha de reggae Chimarruts, ocupado pela cantora desde que o grupo entrou em cena, em 2000.

Dois anos depois, a artista gaúcha apresenta em setembro o primeiro álbum solo, Impermanência, com dez músicas que mantêm a cantora e compositora (bem) perto da praia do reggae pop.

Anunciado ainda em 2017 pelo single autoral Minha verdade (Tati Portella), o álbum Impermanência alinha conexões de Tati com artistas do sul do Brasil.

Duca Leindecker é o compositor de Noite de outros dias, música gravada com baixo, bateria e violão tocados pelo próprio Leindecker. Ícone do universo pop gaúcho, o cantor e compositor Nei Lisboa avaliza a regravação da canção Pra te lembrar – composta e lançada por Nei no álbum Relógios de sol (2003) – ao fazer dueto com Tati nesse novo registro da música.

Tati Portella regrava música de Nei Lisboa no álbum solo 'Impermanência' — Foto: Heloisa Medeiros / Divulgação

(Tati Portella regrava música de Nei Lisboa no álbum solo ‘Impermanência’ — Foto: Heloisa Medeiros / Divulgação)

Projetado como vocalista da banda gaúcha Papas da Língua, da qual saiu neste ano de 2019 para iniciar carreira sola, o cantor Serginho Moah une forças e vozes com Tati Portella em Leve (Beibi).

Já Dada Yute – nome artístico do cantor e compositor paulistano Cauê Granello, propagador de um reggae mais identificado com as origens jamaicanas desse gênero musical – é o convidado e parceiro de Tati Portella em A vida dá, música também assinada por Sander Frois. A faixa foi produzida em estúdio de Brasília (DF), por Alexandre Carlo, integrante da banda Natiruts que toca guitarra na gravação de A vida dá.

Como compositora, Tati assina no álbum Impermanência músicas como Incansável navegante (em parceria com Jéssica Berdet) e Melodia verdadeira (com Rafa Caetano), esta já lançada como segundo single do álbum. A música-título Impermanência é de autoria de Pedro Angi.

Fonte: G1