Além de aumentar a desigualdade entre ricos e pobres, a pandemia do novo coronavírus fez os ganhos das famílias brasileiras de baixa renda desabar 21,5% desde o fim de 2019, de acordo com estudo divulgado pela FGV Social.

O levantamento aponta que renda a individual média do brasileiro, incluindo informais, desempregados e inativos caiu 9,4%. Entre os 10% mais ricos, a queda foi 7,16%, valor dois terços menor do que o observado na metade mais pobre da população.

Os dados mostram ainda que 11,5% da queda dos ganhos das famílias mais pobres foi ocasionada pelo aumento de desemprego. Além disso, um contingente expressivo de trabalhadores se retirou do mercado sem perspectiva de encontrar ou exercer alguma função durante a crise sanitária.

O efeito-desalento, representado por profissionais que trabalham menos do que poderiam, explica a queda de renda de 8,2 pontos percentuais na metade mais pobre contra perda de 4,7 pontos na média geral.

Segundo o estudo da FGV (Fundação Getulio Vargas), os moradores da região Nordeste (-11,4%), as mulheres que tiveram jornada dupla de cuidado das crianças em casa (-10,35%) e os idosos com 60 anos ou mais (-14,2%) lideram as perdas de renda no período da pandemia.

 

Por: R7.COM