O CEO da Pfizer, Albert Bourla, afirmou, nesta quinta-feira (15), que pode ser necessária uma terceira dose da vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela farmacêutica e a BioNTech. Segundo o portal Metrópoles, a dose de reforço teria que ser aplicada seis meses após as duas aplicações feitas atualmente.

Segundo Bourla, há grandes chances de que a imunização contra o coronavírus tenha que ser feita anualmente. As informações foram divulgadas durante um painel de discussão organizado pela rede de televisão CNBC, em conjunto com a CVS Health.

Os estudos sobre uma potencial terceira dose da vacina contra a Covid-19 da Pfizer e pela BioNTech começaram no fim de fevereiro, como estratégia para combater as variantes do novo coronavírus – em especial, a da África do Sul (B.1.351).

Isso porque o atual regime de duas doses produziu uma resposta imunológica mais fraca contra a variante sul-africana.

Ainda segundo o Metrópoles, 144 voluntários vão receber a terceira dose. Os pesquisadores querem priorizar pessoas que participaram dos testes de estágio inicial da vacina nos Estados Unidos, no ano passado. Até agora, a vacina mostrou 91% de eficácia, seis meses após a aplicação da segunda dose.

 

 

 

Fonte: Bahia Notícias